Foco de Pestilência #009 Cartas na Mesa

Capa-#9

Está no ar o Foco de Pestilência #09!

Uma das mais populares ferramentas de todo o esoterismo é um misterioso baralho de cartas. Muito se fala sobre o Tarô, mas pouco pode ser dito com convição sobre ele. Sua história, cheia de caminhos misteriosos, é de certa forma uma representação do que justamente ele é: uma estrada a ser desvendada.
Neste episódio, tiramos a limpo a história do Tarô, suas origens na europa renascentista e seus muitos desdobramentos. E afinal, como pode um maço de algumas dezenas de cartas servir como um oráculo tão poderoso? O que a psicologia pode nos falar sobre isso?
Neste episódio contamos com as convidadas Vanessa Martins, terapêuta junguiana e taróloga e Cristiane Fávero, taróloga especializada no Tarô de Thoth.
Vírgula Sonora: Liber AL II:59“Beware therefore! Love all, lest perchance is a King concealed! Say you so? Fool! If he be a King, thou canst not hurt him.”

(Tradução: “Cuidado, portanto! Amai a todos, pois talvez haja um Rei escondido! Tu dizes assim? Tolo! Se ele é um Rei, tu não podes feri-lo.” – Trad. Arnaldo Lucchesi Cardoso e Jonatas Lacerda, Espaço Novo Aeon)

 

Convidadas:

Vanessa Martins: facebook Facebook | blogger Blogspot
Cristiane Fávero: email

Referências:

  • Sallie Nichols – Jung e o Tarô
  • Helen Farley – A Cultural History of Tarot: From Entertainment to Esotericism
  • Papus – O Tarô dos Boêmios
  • Aleister Crowley – The Book of Thoth
  • G. O. Mebes – Os Arcanos Maiores do Tarô
  • G. O. Mebes – Os Arcanos Menores do Tarô

 

Créditos:
Edição: Levy Fernandes
Tema de Abertura: Egberto Pujol
Vírgula Sonora: Gravado por Steven Ashe. Áudio completo em https://www.youtube.com/watch?v=LFt2mVWjBAw

  • Marisa

    Oi pessoal,
    Parabéns por esse podcast!
    Muito bacana ouvir experiências diversas e saber que vocês também passam por momentos angustiantes diante de certas questões e ainda assim são firmes em orientar o consulente da melhor maneira possível, sem ferir os princípios de vocês.
    Legal também desmistificar a leitura de tarot, deixando-o como algo acessível à todos, sem distinção.
    Abraço!

  • Pedro Lamarão

    Como citado, a referência escrita mais antiga para a relação entre as cartas do Taro e o alfabeto hebraico, bem como a noção de o Taro ser “egípcio”, é o tomo 8 do “Le Monde Primitif” de Antoine Court de Gébelin. É possível encontrar uma reprodução digital desta obra, se não me engano, na Gallica, da Bibliothèque Nationale de France.

  • Andrea Pereira

    Oi Pessoal!
    Muito esclarecedor para mim que apesar de ser fascinada por Cartas, nunca estudei a fundo. Me aguçou a vontade. Adorei a participação da minha amada filhota Vanessa, e me encantou a presença feminina que fez o programa fluir divinamente.
    Como sempre adorei dei risadas e também me emocionei…mais uma vez parabéns ao Flávio que conduz tão consistentemente este programa e pesquisa o conteúdo de forma impecável parabéns pela edição muito boa! bjs pro Levi e seu Feliciano e Petro. Mesmo para uma pessoa “leiga” faz se interessante o debate sempre. Quero curso de Tarô! Vanessa adorei tua participação fé em yung e pé na tábua ! Bjs cósmicos a todos.

  • Matheus Braga

    No aguardo pelo podcast sobre Goécia que é para mim um dos assuntos mais esperados.
    Meu primeiro contato com o ocultismo foi justo sobre esse assunto e existe um grande debate sobre a relação custo x benefício da Goécia. Vale ou não vale a pena? Comentem sobre isso em algum podcast

  • Marie

    Como sempre de parabéns.

    Comecei a pesquisar e estudar magia de maneira série e real não tem nem um mês e vocês tem sido uma ótima fonte de aprendizado, sempre escuto o podcast com a minha caderneta do lado para anotar autores, livros e grupos para procurar depois e buscar conhecimento como nos intruiu ET Bilu rsrsrsrsrs.

    Não sabia nada sobre o tarô, minha mãe jogava, mas não possuía nenhum conhecimento além desse. Joguei uma vez para uma amiga seguindo apenas a intuição e achei bem fantástico quando ela jogou para mim. Agora que conheci um pouco mais da história e a extrema ligação com a arte quero mais ainda estudar o tarô.

    Gostaria de pedir um podcast sobre Goécia, esse assunto me veio a cabeça conversando com um amigo que começou suas pesquisas e estudos por agora também e já entrou na goécia, fui pesquisar nos conhecidos e maioria começou pelo mesmo caminho, um caminho que eu tenho um pouco de pé atrás pois ouvi dizer que se você não tem total conhecimento do que faz é marionete.

    Obrigada pelo cast

    • Pedro Lamarão

      Marie, obrigado pelos comentários! Sobre Goécia, pode ter certeza que entrará na nossa pauta em breve. Temos uma agenda de trabalhos cerimoniais a cumprir e, com certeza, quando chegar a hora desse programa, teremos bastante experiência pra compartilhar!

  • Rafaele

    Olá pessoal. Achei bem interessante o tema. Já acompanho outros podcasts que abordam de leve o assunto e cheguei em vocês pelo mundo freak =)
    Sempre tive curiosidade para o lado místico e em especial o tarot,quando era adolescente tive contato com um livro emprestado, um romance/mistério do qual não me lembro muito, a personagem principal era uma mulher e o tarot estava presente, junto com o livro vinha um baralho de tarot… Será que alguém ai sabe o nome do livro?
    Enfim… sempre achei muito mistico e interessante, tenho vontade de aprender. Vocês indicam uma literatura básica?

    No mais achei muito informativo e até bem esclarecedor, já fiz terapia e li um pouco sobre e achei esse paralelo sobre interpretações bem válido. Nós ouvimos X aí quem vai interpretar e fazer algo a respeito é a gente né, só tem que ter coragem de ouvir esse X que fingimos que não sabemos rsrsrs 😉
    Sobre a folha de árvore no formato certinho do naipe me fez lembrar o que umas amigas sempre falam, quando se está grávida você vê grávidas em todos os lugares, isso pq nesse estado você está prestando atenção! É relevante a gravidez como será relevante qualquer coisa relacionada ao contexto que se está vivendo. Achei meio longo e desnecessário essa observação mas precisava falar com alguém rsrs
    No mais obrigada =) continuem a gravar pois está muito bom!

    • Pedro Pietroluongo

      Oi Rafaele, preciso que mais detalhes para poder te ajudar com o livro. Quanto a literatura básica eu recomendo o livro “O Tarô de Thoth: Um guia para o oráculo do Novo Éon projetado por Aleister Crowley” por Johann Heyss Link: http://www.amazon.com.br/dp/B00MS89AU8 também sobre tarô de thoth tem o Liber Theta – http://www.thelema.org/publications/books/LiberT.pdf.

      Esse “efeito espelho” onde identificamos referências externas de símbolos internos é tão parte de nós e tão presente quando a intuição que fornece é porta para a divinação. A benefício principal e, na minha visão, maior poder transformador do contato com qualquer oráculo e o trabalho (a)divin(h)atório é de guiar essas faculdades sutis da pessoa para para saber “como será a gravidez” ou “o quanto a gravidez vai mudar sua vida” dando utilidade a uma ferramenta como o tarô com foco no desenvolvimento de todos a lidam com ela.

      Obrigado pelo carinho e atenção ao nosso trabalho. Se depender de incentivos como o seu o podcast vai longe!

  • Isabella Giordano Bezerra

    Gostei desse episódio mas fiquei meio agoniada como ele se focou na perspectiva junguiana pra explicar tanta coisa, acho que isso limitou muito os horizontes. Sou psicóloga e sei que esse apego ao conceito do inconsciente não é algo generalizando dentro da psicologia. Não se se é porque isso virou um conceito POP, mas todo mundo adota e fala sobre isso como se fosse uma realidade concreta. Acho que se fosse relacionar com a psicolgia em si, era melhor ter ter sido feito com uma perspectiva mais geral disso. E aí um dos meninos ainda chamou a psicoterapia de tecnica cientica… Sinceramente, as correntes da psi são todas crenças, fulaninho é da igreja froudiana, fulaninha da junguina, e sicraninha da igreja da esquizoterapia. Elas estão mais próximas da filosofia do que da ciência em si… Acho que a psicologia acabou se tornando aquela linguagem que todo mundo acha que sabe um pouco porque todo mundo acha que aquilo é uma verdade né… sei lá.

    • Pêu

      Isabella, seu comentário é surpreendente. Você pode compartilhar artigos críticos do conceito de inconsciente, para nosso estudo?

  • Isabella Giordano

    Oi Pêu, eu não sei se há artigos que fazem uma crítica tão direta ao conceito, teria que fazer uma pesquisa. Provavelmente há, pois tem artigo pra tudo nessa vida.Inicialmente eu tava falando mais de uma sensação minha do que uma corrente de pensamento. Mas sei que cheguei a essa postura com leituras de livros de Foucault (a historia da sexualidade, a historia da loucura, o nascimento da clínica… enfim, acho que tem vários que podem ser enumerados), e com livros de Deleuze e Guatarri, principalmente o Anti-Étipo. Mas é o tipo de conversa boa para se ter numa mesa de bar 🙂

    • Pêu

      Vamos combinar alguma coisa. Se você tiver acesso ao Rio de Janeiro ou São Paulo, é fácil, fácil. Trocamos emails?

  • Isabella Giordano Bezerra

    Não tenho acesso fácil a Rio e SP não 🙁 Mas meu email é giordano.bella@gmail.com

  • Gente, adorei o podcast. Vocês estão super de parabéns pelo trabalho!
    Começei os estudos recentemente após muita pesquisa no assunto que duas pessoas muito queridas que conheci me indicaram (também recentemente), pois até hoje não havia “me encontrado”. Posso dizer que tenho aprendido muito com os podcasts… e que também muitas dúvidas foram surgindo! aheuahuehauhe Já faz um ano e meio que aprendi a jogar tarot (ainda não me sinto confiante nas leituras) então achei bacana demais esse podcast aqui! Se rolar curso de novo, é bem provável que eu participe.
    Obrigada à todos por partilharem a experiência de vocês! 🙂

  • Flávia Pelegrini

    Oi Pessoal!
    Parabéns pelo trabalho de vocês… maravilhoso!
    Deixo aqui uma sugestão… que tal um podcast sobre o Uso do Tarot na Magia!?!?
    Já aproveito para pedir licença para ser chata, mas deixar aqui meu ponto de vista: Gosto de usar a palavra “Consultar” para falar de Tarot… um Oráculo! Dou preferência a “consultar” do que “jogar”… gosto de usar as palavras que acredito serem as corretas… apenas compartilho aqui com vocês esse meu posicionamento, para somar. Tenho o Tarô como estudo há 20 anos… e gosto muito!
    E concordo com o comentário que diz que o assunto ficou muito para o Yung… muito para o Consciente Coletivo, etc… e pouco para o Esoterismo e Magia…
    Vale mais um programa com esse tema heim!!
    De qq. forma, adicionou de mais!! Grata pelo trabalho de vocês!
    Flávia Pelegrini.

  • Flávia Pelegrini

    Vou deixar mais um comentário… rs 🙂
    A questão de utilizar o Tarot como premunitor… me parece um tanto limitada. Dou preferência a utilização do Tarot como um Guia que Consultamos para poder alterar os acontecimentos de acordo com nossa vontade!
    Sempre consulto o Tarot, não para saber o que irá acontecer… pois creio que só minhas ações poderão determinar isso.
    Mas consulto o Tarot justamente para poder saber se devo mudar as minhas ações ou persistir nelas… para obter o que desejo!
    Gosto dessa visão de Guiança do Oráculo! Prefiro isso, à previsão de acontecimentos!
    _/_
    Flávia P.

  • Vidal W.

    Eu acho meio absurdo a ideia de que cartas conseguem ver o futuro (ou qualquer outra ferramenta oracular). Talvez eu pense assim porque comecei a estudar magia há alguns meses e ainda não sei se tudo isso é real.
    Estou ansioso pelo podcast sobre ouija.

  • Serpente

    muito interessante, ótimo cast