Foco de Pestilência #010 Ordálias e Provas Mágicas

Capa-#10

Está no ar o Foco de Pestilência #10!

Onde quer que se leia sobre a arte mágica, sempre se encontram volumosas advertências sobre os perigos do caminho. Loucura, instabilidade, morte… A estrada do conhecimento oculto é dita como cheia de provações a serem superadas e a exemplo dos mais tradicionais contos folclóricos, o mago é como o herói que em sua jornada enfrenta guardiões e portais a serem superados.

 

Mas que provações são estas? Como elas se apresentam no caminho? O que acontece quando fracassamos? E quais relações podemos fazer entre estas provas e a Árvore da Vida e suas Sephirot? Neste episódio, Flavio Watson, Pêu Lamarão, Pietro e Sr. Feliciano recebem Alexandre Nascimento para debater estas e muitas outras questões terríveis!

 

Vírgula Sonora: Liber AL III:42 “The ordeals thou shalt oversee thyself, save only the blind ones. Refuse none, but thou shalt know & destroy the traitors. I am Ra-Hoor-Khuit; and I am powerful to protect my servant. Success is thy proof: argue not; convert not; talk not over much! Them that seek to entrap thee, to overthrow thee, them attack without pity or quarter; & destroy them utterly. Swift as a trodden serpent turn and strike! Be thou yet deadlier than he! Drag down their souls to awful torment: laugh at their fear: spit upon them!”

 

(Tradução: “Os ordálios tu conduzirás por ti mesmo, salvo apenas os cegos. Não recuse ninguém, mas tu conhecerás e destruirás os traidores. Eu sou Ra-Hoor-Khuit; e Eu sou poderoso para proteger o meu servidor. Sucesso é a tua prova: não discutas; não convertas; não fales demasiado! Aqueles que tentam te apanhar numa armadilha, te derrubar, atacai a eles sem piedade ou clemência; e destrua-os completamente. Rápido qual uma serpente pisada virai e atacai! Sede tu ainda mais mortal do que ele! Arrastai suas almas para um horrível tormento: ride pelo seu medo: cuspi neles!” – Trad. Arnaldo Lucchesi Cardoso e Jonatas Lacerda, Espaço Novo Aeon)

 

Créditos:
Edição: Levy Fernandes
Tema de Abertura: Egberto Pujol
Vírgula Sonora: Gravado por Steven Ashe. Áudio completo em https://www.youtube.com/watch?v=LFt2mVWjBAw

  • Marciel Miranda

    Fantástico!

    Primeiro Podcast sobre o assunto que tenho prazer imenso em acompanhar, vale muito a pena esperar os 15 dias para ouvir, afinal, é uma chuva de informação que somam muito com o desenvolvimento pessoal de cada ser.

    Estou na batalha para trilhar meu caminho iniciático, já levei tanto soco na cara que acho que agora vou conseguir, o que tem me ajudado muito é o diário, apesar de estudante, se um dia não estudo ai anoto meu fracasso, e o ato de anotar meu fracasso me faz não querer fracassar.

    Agradeço a todos profundamente pelo tempo concedido a este projeto e continuem sempre =)

    Fraternalmente, Marciel Miranda – Goianápolis/Goiás

    93!

    • Flavio Watson

      Obrigado, Marciel!

      É como a gente sempre fala, o lance é seguir em frente. A estrada é esquisita, mas (talvez por isso mesmo) vale à pena!

      93!

  • Tibério Augusto

    Eu estou ouvindo e pensando, a ordalha não seria seria uma finalização? Tipo vc estudou e no final fez a prova, vc viveu e no final tem o julgamento. A ordalha é na minha visão o caminho do fim para um novo começo.

  • Tibério Augusto

    Eu comecei com os estudos a 1 ano mais ou menos e estou notando uma dificuldade bem maior nas visualizações do que antes, já havia ouvido falar de uns “empurrões” que nos ganhamos no inicio, mas é só nas visualizações pq intuição, insight, concentração e outras coisas eu noto a melhora. Fico curioso do pq é só as visualizações.

    Adorei o podcast de vc, estava faltando um que falasse diretamente da jornada, a maioria fala muito dos estudos (sem desmerecer) mas quase toda base confiável tem mais de 50 anos, é muito tempo e vcs trazem uma visão atual e focada para o estudante, isso é um muito bom.

  • A

    O maluco do Pão com Manteiga na chapa era o Rafael Capanema. Hoje ele é colunista no Buzzfeed.

  • Camila

    Vocês falam que a ordália para seria uma escolha no mundo mágico. Mas me pergunto se a partir do momento em que temos consciência na vida mundana de situações que precisamos enfrentar para evoluir, e escolhemos confrontá-las, isso não seriam uma forma de ordália?
    Parabéns pelo cast,abraços a todos
    Camila

    • Pedro Lamarão

      Camila, sua pergunta é super importante. Como discutimos no programa, “ordália”, no coloquial, é uma provação, uma dificuldade que põe à prova. Através dessa leitura, a resposta curta para a sua pergunta é sim, seria. Então, se uma pessoa está fofocando no Whatsapp enquanto dirige, bate o carro, se machuca e sobrevive, nós podemos dizer que a pessoa atravessou uma ordália. Se a pessoa, tendo vivido isso, nunca mais dirigiu desatenta, então podemos dizer que a pessoa explorou a ordália como lição de vida e evoluiu. Existem processos de transformação trabalhados na magia que não acontecem naturalmente, isto é, não acontecem espontaneamente na vida de uma pessoa que só vai vivendo naturalmente. Esses processos precisam ser deliberadamente iniciados. Nesse contexto, nós podemos falar de, talvez, “ordália mágica”. Então, eu diria que “ordálias mágicas” são um tipo de coisa diferente daquelas tomadas de consciência da vida mundana. Bater o carro por causa do Whatsapp não seria, então, uma “ordália mágica” para aquela pessoa, porque nessa história não há um processo mágico em andamento.

      • Camila

        Muito obrigada pela sua resposta!

        Terminei de ouvir o ultimo programa hoje, um agradecimento a vocês por trazerem um assunto denso de forma bem didática. Obrigada!

  • serpente

    palavras do Predador antes de se explodir “… isso acontece … “

  • Dom

    Meu ponto de vista sobre as questões apresentadas, e partindo da minha própria vida, é que estas provas precisam ser resolvidas sim, recursivas e recorrentes, e precisam ser resolvidas, eu acrescentaria, nas primeiras “manifestações” porque a demora ou a lentidão podem te atrapalhar na sua progressão espiritual. Um paralelo que eu faria é com o câncer. Ela podem gerar um pequeno… “ponto de caoticidade”? Concordo muito com a Flávio no geral.

  • Cristiane Bilhalba

    Bacana. Não tenho muito conhecimento sobre o assunto mas ampliou minha visão sobre algumas coisas.

  • Telma

    Debate rico, como sempre.
    Muito bom ouvi-los, muita Sabedoria estes meninos…
    Um livro que, na minha opinião, trata bem deste tema, é “A filha da Noite”, de Marion Zimmer, romance inspirado na ópera “A flauta mágica” de Mozart… A abordagem é repleta de símbolos, trata dos 4 elementos de maneira bem didática. É um livro curto, muito fácil e gostoso de ler.

  • Serpente

    De 14 de julho de 2016 a 14 de fevereiro de 2017 ” tomei 12:00″ meio copo de agua.
    Fiquei sem Tomar treze vezes em seis meses. ” não tomei “.
    19/ 07 Não tomei, me esqueci lendo livros do game of thrones.
    22/07 Não tomei. Fracasso !
    14/08 Não tomei. Fracasso !
    20/08 Não tomei ….
    21/08 Não tomei. Esqueci.
    23/08 Não tomei. ” Estava trabalhando no Corel ”
    27/08 Não tomei. Acordei 12:20 Domingo. ” sábado no calendário”
    19/10 Não tomei. estava estudando
    05/11 Não tomei. Enem
    06/11 Não tomei. Enem
    12/11 Não tomei. Sábado acordei tarde.
    27/11 Não tomei
    03/12 Não tomei
    O maior descumprimento foi não anotar no diário “tomei” após “tomar” .
    Minha opinião é que foi como uma tortura de gotas de agua chinesa, chegou um ponto que se tornou um saco horrível ! de continuar. Ainda tem os tomei deis de o dia 03/02 para anotar. Procrastinação e incompetência em realizar um trabalho por completo é o que devo me consertar.
    geminiano, ascendente em capricórnio saturno casa 12 …….

    • Serpente

      …….. nas palavras do Goya, ” anote, pelo amor de deus anote, diário sem registro significa o mesmo que que você não ter feito nada ” .