Foco de Pestilência #012 Pop & Magick

Capa-#12

Olá, crianças do Abismo! Está no ar o Foco de Pestilência #12!

Seja como realidade ou ficção, a magia é parte da sociedade. E, como tudo mais que dela faz parte, está destinada a se tornar um produto cultural! Filmes, música, jogos, livros, quadrinhos. A indústria cultural sempre bebeu das fontes do ocultismo, seja para apenas contar histórias interessantes ou para transmitir informações aos que conseguirem ler as entrelinhas.

Mas qual o resultado deste encontro daquilo que vive mais à margem da nossa sociedade com o seu aspecto mais central? Como os magos e a magia são representados quando conquistam as telas e páginas? E quais transformações a sociedade passa quando consome o ocultismo produzido para as massas?

Neste episódio com altos índices de nerdisse, Flavio Watson, Pêu Lamarão, Sr. Pietro e Sr. Feliciano recebem como convidado o Sr. Mordechai para conversar sobre música, quadrinhos, literatura e cinema. E para comprovar que RPG de fato é coisa do demônio.

Vírgula Sonora: Liber AL II:20 “Beauty and strength, leaping laughter and delicious languor, force and fire, are of us.”

(Tradução: “Beleza e vigor, riso exaltlado e delicioso langor, força e fogo, são dos nossos.” – tradução pessoal)

 

Créditos:
Edição: Levy Fernandes
Tema de Abertura: Egberto Pujol
Vírgula Sonora: Gravado por Steven Ashe. Áudio completo em https://www.youtube.com/watch?v=LFt2mVWjBAw

 

Referências:

Pop Magic! by Grant Morrison (Inglês)
Onanismo Mágico Invisível – Carta do Grant Morrison sobre o processo de sigilização usado em The Invisibles (Português)

 

  •  Filmes
Chemical Wedding, dir. Julian Doyle – Trailer
The Craft, dir. Andrew Fleming – Trailer
The Holy Mountain, dir.  Alejandro Jodorowsky – Trailer
Marilyn Manson – Born Villain (videoclipe inspirado em The Holy Mountain)

 

  • Música
Jorge Ben Jor – Os Aquimistas Estão Chegando (Youtube)
Jorge Ben Jor – Hermes Trismegisto e sua Celeste Tábua de Esmeralda (Youtube)
Raul Seixas – Viva a sociedade alternativa / A Lei  (Youtube)

 

  •  Quadrinhos
The Invisbles, Grant Morrison
Promethea, Alan Moore
Alejandro Jodorowsky – Catálogo
  • Saudações!

    Como dica, leiam Nameless, uma das últimas obras do Grant Morrison; impossível não pirar. Daath, as Qliphoths, o Irmão Negro, a Travessia do Abismo, etc; tudo isto contido nas referências da HQ. Recomendo.

  • Bárbara Aguiar

    Oi gente,

    Adorei o programa farofa dessa semana. Me diverti muitíssimo.

    Porém muito me espantou nenhuma menção a Animes/Mangás, ainda mais depois do Pêu se declarar um fã no meio do programa. Fiquei na dúvida se minha total ignorância do assunto mágico me faz achar que são muito mais interessantes nesse aspecto do que são na realidade. Títulos como xxxHollic, Tarot Café e Full Metal Alchemist surgiram em minha mente em vários momentos. Principalmente FMA, quando o Sr. Mordechai falava sobre ‘paradoxo’ no Mage o final de FMA me pareceu caber totalmente. Não vou falar o que é o final porque não compro essa de depois de tantos meses não é mais ‘spoiler’.

    A menção suave ao Neil Gaiman também me “decepcionou”, achei que seria mais falado. Principalmente quando o Pietro mencionou espíritos de coisas urbanas. Me lembrei imediatamente de Deuses Americanos, por mais que não sejam exatamente a mesma coisa. Mas justamente por ser uma ideia de que o povo cultua hoje coisas diferentes das coisas naturais e daria força a essas coisas.

    Aliás, o “spoiler” do Sr. Feliciano sobre The Craft pode virar spoiler mais efetivo muito em breve visto que estão planejando a heresia de fazer uma refilmagem. 🙁

    Dito tudo isso, no fundo fiquei foi curiosa para saber qual seria a classificação de vocês para essas coisas e para outros títulos não tão pop como ‘Jonathan Strange and Mr. Norrell’ que é uma série em que pensei muito no episódio sobre Tarot (até comentei com a Vanessa no dia que ouvi). Totalmente disposta a ouvir “isso aí é tudo balela, de mágica não tem pn”. 🙂

    E por fim, mas não menos importante, jamais perdoarei Levy pela vírgula sonora do Jovens Bruxas em português. Jamais.

    Beijos!

    • My bad. Esse programa foi curto demais pra fazer todas as citações. Citar coisas como To Aru Majutsu teria levado a discussão pra outro lugar, e eu estava com “pop magic” na cabeça depois de um thread enorme no Chaos Magic Group. Conhecendo o nosso host, teremos mais edições do programa “Pop & Magick” ainda esse ano; com certeza uma depois do Dr. Estranho.

  • Frater Amoun

    Fazê o que tu queres deverá ser o todo da Lei.

    Citaram o Harry Potter, reparem bem a relíquia da morte, pois nela se forma ISO.

  • Irmão Philosophos

    Primeiramente, ótimo episódio!
    Quando vocês falaram sobre a Beyoncé, achei que iam focar um tempo na questão do hip-hop norte-americano, que é cheio de referências em todos os níveis. Na próxima vez seria legal falar um pouco sobre.

    PS: Team Mooreson!

    • Flavio Watson

      Não conhecia esse movimento, não e já tô procurando ver qual é.
      Perto desse lance, tem um projeto francês de hip-hop que tb flerta muito com elementos esotéricos. Saca só: https://www.youtube.com/watch?v=02StfRA5L0s

  • Intrigante essas informações. Nunca tinha visto ninguem abordar desse jeito esse assunto. Muito bom!

  • LEVY FERNANDES

    teste

  • Telma

    Alto nível como sempre. Vou citar aqui pato Donald no país da matemágica, puta aula introdutória à Geometria Sagrada.

  • Thiago

    Eu conheci e fui atrás de aprender Thelema por causa das músicas do Raul Seixas, mas dei de cara o texto literal da Missa Gnóstica e achei meio bosta a ideia de missa e deixei de lado. Fui correr atrás de voltar a estudar thelema pelo fato de haver inúmeras citações de Crowley em textos esotéricos etc.

  • Serpente

    Esporrante como sempre, parabéns …

  • Marcos Guerra

    Opa, parabéns pelo trabalho! Só uma observação: As bruxas do Macbeth, numa parte do texto (que costuma ser retirada das montagens cinematográficas) comentam seus maus feitos entre si, citam o afundamento de um Navio ocasionado pelos seus “poderes elementais”, visitações assombradas a cristãos e se gabam de atacarem mulheres. Elas realmente são pintadas como entes malignos na exposição do discurso da peça.

  • Roberto Souza

    Nada a ver esse negocio de aparecer o ocultismo nos anos 70 por conta do movimento hippie e new age, os Beatles já tinha feito isso no álbum Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band em 1967, quando botou a foto do Crowley na capa do disco. Na verdade o ocultismo é algo comum entre os ingleses, na verdade na literatura inglesa é o que mais se fala, então nada a ver a afirmação desse sujeito, viajou bonito.

  • marcus romao

    muito legal o episodio parabens… obrigado pelas informaçoes….en hora de aventura lembram de uma vez q o finn cria um monstro astral ?kkkk

  • Arthur Henrique

    Não sou magista, mas o tema sempre me despertou curiosidade. Parabéns pelo podcast. Estou maratoneando e curtindo bastante.

    PS: minha vontade de fumar só aumenta cada vez que escuto o click do zippo.

  • Don pica

    Poxa vcs se esqueceram de falar quando estavam comentando sobre led zeppelin a musica staryway to heaven que fala sobre iniciações em algumas ordens iniciaticas. ..